jose-ruiz

Já vi algumas belas e grandes coleções no mundo Beatlemaníaco. Algumas ainda não tive a oportunidade de curtir pessoalmente, tocar, olhar, segurar. Uma delas é a do gaúcho José Ruiz. Médico clínico de profissão, nas horas vagas o que preenche sua mente são os discos com gravações dos Beatles (e também de outras bandas de rock) que consegue reunir em CDs e LPs. Na última semana, seu foco tem sido ouvir todos os demos e outtakes de John Lennon em carreira solo, através de um novíssimo box (32 CDs). Sua predileção são os famosos picture discs, aqueles discos com a capa impressa no próprio vinil. Conheça mais sobre o mundo de um hard collector nessa curta, mas bem informativa entrevista. [Jose Carlos Almeida]

Há quanto tempo você conhece os Beatles? Se lembra de como se tornou um fã?
Tenho 49 anos. Tudo começou aos 7 anos, na casa de uma amiga 4 anos mais velha, que era fã dos Beatles e tinha o disco “Socorro”. Ela punha pra tocar numa vitrolinha azul, os guitarristas e o baixista usavam as raquetes de tênis do pai dela para fazer de instrumentos, o baterista tinha algo improvisado também, e assim passávamos longos períodos “ensaiando” as faixas do disco. Depois começamos a copiar em fita o acervo dos vinis de todos amigos e parentes pra ouvir nos gravadores portáteis, aí a coisa começou a ficar séria.

Você é um grande colecionador, mas se mantém com uma certa discrição. Qual o tamanho da sua coleção? Tem mais vinil ou mais CDs? Enfim, quais os números?
Uns 3 mil CDs e uns 2 mil vinis. Tenho mais CDs em função de que quando comecei, cada bootleg trazia poucas faixas inéditas, então pra se ter tudo era necessário ter um grande volume. Há pouco tempo surgiram as coleções completas em CD, permitindo o descarte daquele material, o que ainda não foi feito por apego e falta de tempo. Quando comecei a parte em vinil priorizei as discografias em alta qualidade. Depois vieram os vinis picture que somam mais de trezentos, só dos Beatles.

Em qual turma você está, a dos amantes do velho analógico ou os que preferem o som digital?
Comecei colecionando os vinis fabricados no Brasil, depois veio a era dos lançamentos em CD, depois vieram os bootlegs em CD, em seguida os bootlegs em vinil de alta qualidade, depois os remasters em CD e vinil.

Você é um colecionador bem peculiar, tem preferência por picture discs. O que esses discos tem de tão bacana? O som é bom?
Depois de ter o essencial, comecei a colecionar os LPs picture porque além de serem lindos, tocam música. No geral não tem a mesma qualidade sonora, mas há exceções.

Você é audiófilo, certo? Que equipamento usa para ouvir música no dia a dia?
Curto muito aparelhos. Em casa tenho no home theater um toca discos Stanton T92, um blue ray player Philips, um pré amplificador valvulado fabricado por um especialista brasileiro (Tonhão), e um power Exaudi 5000, marca brasileira de som hi-end, e caixas de som feitas pelo Renato Lira, gênio no assunto. Na casa de praia, que serve de refugio no verão e fins de semana uso um receiver Gradiente/JVC AVR 5.0 com caixas Lando e subwoofer Yamaha.

Vida de médico é corrida. Como você concilia seu trabalho à dedicação de colecionador? Tem tempo para ouvir tanta coisa?
2 h por dia é rock, no final do expediente. O colecionismo hoje é alimentado pelos meus 2 fornecedores. Eles mandam mensagens do que vêem por aí, e perguntam se interessa.

Você também coleciona material de outros artistas, certo? Vi uma caixa do The Piper At The Gates Of Dawn (Pink Floyd) que você tem e quase pirei.
Pink Floyd, Led Zeppelin, Rolling Stones, Jimi Hendrix, as coleções oficiais e muitos bootlegs de cada um.

Existe um ítem na sua coleção que seja o seu xodó, o mais querido de todos? Seria também o mais caro?
O box inglês MFSL em estéreo e o box Japan red wax em mono, ambos dos Beatles. Tem também os 4 discos shaped do fã clube australiano que são raríssimos.

Sempre passa pela minha cabeça essa pergunta, quando falo com grandes colecionadores: e quando você partir para o além? Quem vai cuidar disso tudo?
Meu filho tem 5 anos e é fanático pelo AC/DC. Se ele despertar pros Beatles, ele herda. Do contrário minha esposa contacta meus fornecedores e eles transformarão a coleção em grana.

Imagino que você conheça e seja amigo de outros hard collectors. Pode citar alguns?
Dos Beatles o Luiz Lennon, Zé Lennon, Mallagoli, José Mendonça e Claudio Teran. De Rolling Stones o Frederico Cesquim.

Que dicas você dá para os que estão iniciando suas coleções de raridades agora? É caro ser colecionador? Existem roubadas no ato de comprar? O que evitar?
Hoje pode-se ter tudo gratuito em alta qualidade através de download de arquivos losless (.FLAC por exemplo), basta tempo e persistência. Ser colecionador de mídias originais é caro, mais ainda em vinil. A dica é estar bem informado e ter fornecedores honestos, profundamente conhecedores e eficientes na busca.

José Ruiz no Facebook:
https://www.facebook.com/profile.php?id=100003190318194&fref=ts