2016 vai ficar marcado durante muito tempo ainda pela grande quantidade de mortes que aconteceram no meio artístico. O universo beatle não ficou imune: hoje, na véspera do fim de ano, foi anunciado o falecimento de uma importante figura: Allam Williams, aos 86 anos. Ele ficoi – se sempre será – conhecido como “the man who gave The Beatles away” (o homem que deu os Beatles), por ter cedido o contrato que tinha com os Beatles a Brian Epstein por um valor insignificante, em comparação com o que a banda renderia nos anos seguintes, até hoje.

Em 2001 Allan Williams revelou em entrevista que ainda se arrependia de ter vendido o contrato que tinha com a banda por 9 libras (que em valores atuais, daria cerca de 200 libras, menos de R$ 2 mil) a Brian Epstein, pouco antes deles decolarem. “Ainda perco o sono por não ter visto o potencial dos Beatles no início. Ninguém poderia ter imaginado The Beatles se tornaria tão famoso.”, disse.

Allan Williams foi o chefe dos Fab Four por três anos, antes de ter entregue a direção a Brian Epstein, em 1962, que os levou para gravar seu primeiro disco em um ano. Hoje com 81 anos de idade, Williams disse ao Daily Record que se desentendeu com a banda depois de terem deixado de pagar de volta £9, como parte de uma comissão de 15% pelos seus primeiros shows em Hamburgo.

“Naquela época havia 300 grupos em Liverpool, que eram tão bons ou melhores que os Beatles. E eu nem sequer receber minhas 9 libras”, disse o ex-empresário, que passou a beber depois que viu o grupo subir ao estrelado. “Eu me lembro de vê-los fazendo uma apresentação diante da Rainha, cerca de um ano mais tarde, e jogando uma almofada na TV”, explicou. “Mas eu já não tenho arrependimentos. Fico feliz de ter estado lá nos anos 60 no início de tudo”.