Paul McCartney

Nota oficial de Paul McCartney sobre a morte de George Martin

mccartney martin

Paul McCartney lançou em seu site oficial e redes sociais a seguinte mensagem sobre o produtor dos Beatles George Martin, falecido hoje, em Londres, aos 90 anos:

Estou tão triste de ouvir a notícia do falecimento do querido George Martin. Tenho tantas lembranças maravilhosas deste grande homem, que vai ficar comigo para sempre. Ele era um verdadeiro cavalheiro e um segundo pai para mim. Ele guiou a carreira dos Beatles com tal habilidade e bom humor, que se tornou um verdadeiro amigo para mim e minha família. Se alguém ganhou o título de “quinto Beatle” é o George. Desde o dia em que deu aos Beatles o primeiro contrato de gravação, até a última vez que o vi, ele foi uma das pessoas mais generosas e inteligentes que eu já tive o prazer de conhecer.

É difícil escolher as lembranças favoritas de meu tempo com George. Há tantas! Mas a que me vem à mente é de quando eu trouxe a música “Yesterday” para uma sessão de gravação e os caras da banda sugeriram que eu cantasse sozinho, ao violão. Depois que eu tinha feito isso George Martin disse-me: “Paul, tive uma idéia: colocar um quarteto de cordas no registro”. Eu: “Oh, não George, somos uma banda de rock and roll e eu não acho que é uma boa ideia”. Com o jeito suave de um grande produtor, ele me disse: “Vamos tentar isso e se ele não funcionar, não vamos usar. Usamos a sua versão solo”.

Ele usou os acordes que eu mostrei, espalhou as notas através do piano, colocando o violoncelo na oitava abaixo, com o primeiro violino em uma oitava acima, me dando minha primeira lição de como cordas são arranjadas para um quarteto. Quando gravamos o quarteto de cordas no Abbey Road, foi tão emocionante, que falei sobre isso com as outras pessoas por semanas. Sua idéia, obviamente, funcionou, pois a música tornou-se posteriormente uma das canções mais gravadas, com versões de Frank Sinatra, Elvis Presley, Ray Charles, Marvin Gaye e milhares mais.

Esta é apenas uma das muitas lembranças que tenho de George, que passou a me ajudar com arranjos em “Eleanor Rigby”, “Live and Let Die” e muitas outras músicas minhas.

Tenho orgulho de ter conhecido um verdadeiro cavalheiro, com um sentido tão aguçado de humor, que tinha a capacidade de zombar de si mesmo. Mesmo quando ele foi nomeado cavaleiro pela rainha, nunca houve o menor vestígio de esnobismo da parte dele.

A minha família e eu, de quem era um amigo querido, vamos sentir muita falta. Gostaríamos de enviar o nosso amor a sua esposa Judy, seus filhos Giles e Lucy e os netos.

O mundo perdeu um verdadeiro grande homem, que deixou uma marca indelével na minha alma e da história da música britânica.

Deus te abençoe, George, e todos os estão com você!

Paul

Comentário

Clique Aqui Para Comentar

Quer comentar?